Você tem que saber onde quer chegar

Ilustração-conceito

Com o roteiro pronto (depois falo mais sobre o que considero pronto), dedico alguns dias (muitos) a buscar aquilo que considero a alma visual da história: a ilustração-conceito. Em ‘Paura’ estava em dúvida se ousava com um estilo mais naturalista (para dar mais peso e credibilidade a história) ou se insistia no meu surrado traço. Para decidir, acabei fazendo muitos testes antes de chegar a essa imagem que sintetizou tudo que eu queria: um estilo de anatomia menos caricatural, traços sem muita variação, olhos vazados e muito contraste com preto. Depois de pronto, coloquei esse desenho-conceito em frente a prancheta: ele vai me guiar, como um farol numa noite sem estrelas, até o fim da história. A caminho é mais curto quando sabemos aonde vamos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *