Histórias longas

Por que fazer histórias longas? Marcatti diz que o futuro dos quadrinhos brasileiros está nas obras autorais (vale a pena conhecer o seu trabalho e opinião).  Lancaster também tem uma opinião parecida: para material de massa, a banca vai bem; para material menos popular, a livraria é o destino. Livro pequeno, livro grande, luxuoso ou símples: quadrinhos em livraria. Quem concorda com essa visão, está produzindo obras maiores, mais profundas e com maior liberdade criativa. É um caminho mais livre, ideal para quem não se enquadra nos moldes da indústria de quadrinhos de massa. Se, assim como eu, você não quer fazer histórias com heróis ou sagas com adolescentes de olhos grandes e porradaria, talvez o seu lugar seja a livraria.

2 Comments

  1. thiago gomes
    10 de julho de 2009

    sim,, sim é verdade a livraria é a salvação!!
    um cara pode até lançar varios zines e quando fechar a HQ com um numero “legal” de paginas, poderia buscar editora pra publicar o encadernado!!,,
    fora Q agora ta pipocando umas editoras pequenas,, Q poderia faser uma aliança,, para uma publicação de maior alcance!!
    sei la,, o Q vc acha leonardo???

    abraço

  2. Leonardo Pascoal
    10 de julho de 2009

    Gostei da idéia de ir fazendo um zine e, depois de um tempo, encadernar o material em um livro. Ter uma editora ajudando é bom: você fica com mais tempo para se concentrar nas histórias, que é o mais importante, e deixa a parte manufatureira com o editor. Mas, às vezes, nem precisa de editora. De uns tempos pra cá, com internet e impressão por demanda, a auto-publicação tem ficando mais interessante e eficiente. Valeu pelo comentário. Gostei do desenho da chiquinha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *