Entreviste seus personagens

Seus personagens não precisam ser complexos. Mas você deve conhecê-los, saber com quem você está lidando, que corja é essa que te acompanha. Gostei muito desse post do Dicas de Roteiros, torna objetiva essa análise criativa. Outra dica legal é partir de esteriótipos e ir lapidando ao seu contento (não digo apenas os clássicos tipos heróico, vilão, nerd, mas digo a personagens representativos mesmo, você pode partir do esteriótipo do homer simpsons para criar um pai de família, na medida em que sua história vai ganhando corpo, e seus personagens vida, a casca vai ficando pra trás e ele ganha uma vida própria, distinta do que o originou). Muitas vezes gosto de pegar a idéia central de uma história, tema ou personagem e pesquisar sobre no dicionário. Isso ajuda a ampliar e a entender melhor a matéria com a qual estamos lidando. Uma idéia leva a outra, sempre.

Tudo novo

Estou aproveitando as férias do trabalho formal para colocar algumas idéias no papel (jogar tf2, ver filmes e alguns animes também). Apesar do tão alardado crescimento dos quadrinhos em livraria, estou mesmo é com vontade de fazer uma webcomic (tenho ensaiado com os demônios, mas ainda não cheguei ao formato ideal). Eu compro os quadrinhos que gosto, mas acho absurdo os preços praticados e creio que os preços sejam proibitivos para boa parte do público em potencial. Quero que mais pessoas leiam meu trabalho, por isso vou publicar na internet. Também estou saturado do quadrinho autoral, sério, reflexivo, poético e profundo. Quero ler e (se tudo conspirar a favor) fazer histórias simples, bestas e nada profundas. Vamos ver se consigo não ficar apenas do discurso. Até! =)