Thumbnail

Estou trabalhando nos rascunhos das páginas (também conhecidos como thumbnail). Nesta etapa que definimos o ritmo das páginas, o momento certo para cada cena, as transições de quadrinho para quadrinho e o tipo de enquadramento que queremos usar.

Roteiro pronto

Roteiro pronto
Passos para a versão final do roteiro

(1) Caderninho, uma espécie de diário onde fui colocando idéias, fotos de referência, citações e pesquisas até chegar ao plot da história (2) Primeira versão do roteiro, feita em um editor de textos chamado celtx (3) Anotações das minhas impressões após a leitura da primeira versão, ou seja, um elenco de problemas a serem resolvidos (4) Após refletir sobre o que deveria sair, o que deveria ficar e o aquilo que faltava, fiz a coluna dorçal para a segunda versão (5) Reescrevi do zero a segunda versão, sem tentar remendar o texto da primeira, seguindo o fluxo do texto de forma mais orgânica e usando da primeira versão apenas aquilo que mais gostei, consultando apenas minha memória e impressões. Pronto, eis a versão final (feita em Word mesmo, sem frescura).

WordPress

Passei duas semanas adaptando o site para usar o wordpress. Em poucas palavras, isso significa que vou inserir conteúdo nas sessões gastando menos tempo que antes (usava o bom e velho html). Ou seja, estou otimizando aquilo que é repetitivo e braçal para ter mais tempo para os rabiscos. Vez ou outra procuro fazer uma relação de minhas atividades rotineiras. Depois procuro identificar aquelas que estão roubando o meu tempo. Tento eliminá-las ou, de alguma forma, reduzi-las. Assim consigo mais tempo para o que realmente é importante: os quadrinhos.

Novo roteiro

O mais importante para um autor de quadrinhos é a história. Por isso, é fundamental que você tenha algo que queira intensamente contar. O roteiro de Paura não estava funcionando. O protagonista tornou-se apático ao longo da narrativa, um verdadeiro maníaco-depressivo-suicida. Gosto de personagens assim, mas sei que são protagonistas ruins. Revi minhas reais motivações. Busquei o sentimento originário. Aquilo que me fez ficar interessado pela história. Por isso estou reescrevendo o roteiro. Mudei o foco da narrativa, estou concentrado naquilo que realmente me deixa perturbado, curioso e com vontade de escancarar para o mundo. Também cortei toda a gordura que deixava a história difícil de ser lida. Paura será uma armadilha. Uma boa armadilha. Será doce, mas intensa, pervertida e doentia.

O dinheiro

Rascunhos
Idéias rápidas para personagens

Vez ou outra recebo e-mails perguntando quanto eu ganho para fazer quadrinhos. Quando digo “com quadrinhos quase nada ainda”, o aspirante a quadrinista me olha com despreso, ou desiludido, e não me responde mais. Se você é uma pessoa comum, como eu, precisa ganhar dinheiro para bancar suas necessidades básicas. Quadrinhos pagam as contas? Sim e não. Se você escolheu desenhar suas próprias histórias, vá se acostumando a ter outro trabalho (pode ser com ilustração, professor, funcionário público, algo que não demande muito tempo, ou com baixo stress, para você poder se concentrar em sua obra). Durante alguns anos (por sorte podem ser poucos), seus quadrinhos não vão render grandes dividendos. Você não é famoso, ainda carece de mais estudo, é natural isso. Mas, por mais frio e difícil que possa parecer esse caminho, é gratificante fazer suas próprias histórias, desenvolver sua própria linguagem e estilo, ao invéz de entrar no esquemão mainstream, apenas como mão-de-obra. Os desenhistas e roteiristas da Marvel e DC têm um retorno financeiro mais rápido de seu trabalho, mas sempre serão funcionários. Poucos são aqueles que, após um período nessas grandes editoras, se veem sem trabalho (de tempos em tempos novos estilos de traço surgem, e os desenhistas, se não se adaptam, ficam ultrapassados e perdem seu emprego). É caminho pobre e difícil ser um quadrinista autoral, mas com certeza é muito mais gratificante trabalhar com suas próprias histórias.