Estilo

Esta é uma tentativa de decifrar meu "estilo"
Esta é uma tentativa de decifrar meu “estilo” 

Acredito que “estilo” não seja aquilo que você queira fazer, mas sim aquilo que você não consegue não fazer. Tire tudo que não gosta, ou que soe falso, o que restar é o seu estilo. Também acredito que ele não seja imutável. Por isso tentei decifrar meu estilo atual com esse “raio-x”. Continuo meus estudos. Até!

Aprendendo a desenhar

Terminei o texto já faz uma semana. Seria a momento de iniciar a pesquisa de imagens, definir os personagens e fazer algumas ilustrações-conceito. Mas seria. Resolvi estudar um pouco mais a fundo o desenho. Acho que um pouco de teoria, treino e desenhos de observação serão proveitosos neste momento. Não tenho editor pressionando, nenhum dinheiro envolvido e não existe nenhuma expectativa sobre esse trabalho que tenho feito: é o momento oportuno para estudar, ir com calma e fazer algo bem feito. Estou correndo uma maratona, e neste tipo de corrida só chega ao final aquele que mantem regularidade. Então, nada de correr despreparado. Até a próxima!

Algumas coisas

Coloquei na sessão Imprensa duas notícias. A primeira é a cobertura da Virada Cultural, filmada às vesperas de uma cólica renal mostruosa (notem que pareço estranhamente feliz e, ao mesmo tempo, gago: patético). A segunda notícia trata-se de minha inesperada indicação ao prêmio HQ-mix. Como isso é possível? A única explicação que achei razoável veio do ilustríssimo Luiz Henrique, famoso blogueiro e universitário por convicção: “foi só você disponibilizar os feeds completos que começaram a notar seu trabalho!”. Bem, seja lá qual seja o motivo, continuo fazendo aquele roteiro. Logo falo mais sobre ele. Até!

Eis que surge o roteiro

Essa primeira versão ficou com 38 páginas
Essa primeira versão ficou com 38 páginas

Acabo de terminar a primeira versão do roteiro. O trabalho ainda está incompleto, falta lapidá-lo. Mas é uma etapa vencida: a história já existe, tem forma e vida própria. É hora de lê-la com calma, refletir sobre eventuais mudanças e cair novamente no trabalho. Muito trabalho!

Teshouko na Hqmix

O Crime do Teishouko Preto
O Crime do Teishouko Preto 

Dei meu máximo e, por isso, foi uma boa experiência. O evento teve uma boa recepção do público, apesar de aparecer algumas pessoas perdidas, como uma distinta senhora perguntando se poderia usar o computador para abrir um disquete (alguém ainda usa disquete?). Espero que me chamem para o próximo!