Você já tomou seus remédios?

Quando criança, sofria de um especie de epilepsia. Me lembro apenas de uma crise, estava eu brincando de motoqueiro na mureta da varanda da vizinha quando perdi os sentidos. Acordei alguns bons minutos depois sendo carregado por três ou quatro mulheres desesperadas. Felizmente, com medicação e o crescimento da minha cabeça (ou diminuição do meu cérebro) nunca mais tive crises (talvez seja a única pessoa que não se irrita se for chamado de “cabeção”). Muito por conta disso, tenho medo de qualquer medicação ou droga lícida ou ilícita que possa afetar meu cérebro. É um medo irracional de que se eu exagerar a barra, posso voltar a ser um epilético. Sei que isso não é puro medo, mas uma doença: insegurança.

Estou fazendo uma nova e curta história, mas a cada etapa, sinto fora do eixo por estar tentando algo ligeiramente diferente do que sempre fiz. É puro medo errar. Estou precisando arriscar, e talvez tomar meus remédios.

Setlist

Você se dá conta de que está ficando velho quando olha para seus cds e percebe que a maior parte das bandas que você ainda ouve já não mais existe.

Mais Cintiq

Usando em conjunto Cintiq, Mangá Studio e Photoshop praticamente me sinto trabalhando com papel. Com a vantagem de ter crt+z e zoom.

O resultado é praticamente o mesmo  que tenho usando papel, tinta e pincel.

O que mudou mesmo foi o local de trabalho: sai a prancheta (que agora vou usar praticamente para fazer os roteiros, layouts e estudos)  e entra o computador.

(Claro, continuo com os olhos ardendo, mas acho que trocando as lentes dos óculos eu resolvo isso)