Talvez escrever roteiros não seja criar uma história

Finalizei o roteiro de mais uma história curta que pretendo publicar aqui no site e, nesse processo de criação, cheguei a uma constatação desconcertante.

Às vezes parece que escrever roteiros não é propriamente criar uma história. Antes disso, parece que é descobrir algo que aparenta que já existia em algum lugar, apenas à espera de que alguém prestasse à atenção.

E esse lugar para qual devemos olhar e observar, parece ser a nós mesmos.

Mas olhar de verdade. Profundamente.

Assim como a busca por um tesouro enterrado, descobrir uma história é cavar profundamente em nossa mente.

Só assim podemos ver algo que nós mesmos não sabíamos que existia, mas que de certa forma, sempre esteve lá.

Algumas séries que tenho visto #1

Os Aspones

Escrita pela saudosa roteirista Fernanda Young em parceria com Alexandre Machado, a série teve apenas uma temporada. Revi estes dias. Gosto bastante do humor de situação e o clima decadente da repartição pública que serve de universo para reunir esses personagens dissonantes. Ótimas atuações e direção. É Dilbert live action versão tupiniquim.

Twin Peaks temp. 1 e 2

Estou revendo a clássica série de David Lynch que revolucionou a TV nos anos 90. Gosto muito da ambientação e dos personagens icônicos. Parece que a mecânica do roteiro é sempre ter em cena um personagem relativamente normal interagindo com outro estranho, surtado, enigmático ou excêntrico. Desse contraponto estão as melhores cenas. O espaço para o vazio, o silêncio e o enigmático é a cereja no bolo. Twin Peaks é essencial.

Voltando aos poucos…

Esses últimos 16 meses foram conturbados. Mudança de trabalho, construção, pandemia… muitas mudanças que resultaram em uma rotina puxada e pouco ou nenhum tempo para desenhar.

Não temos o luxo de viver de quadrinhos. Então é normal, vez ou outra, sermos sequestrados pela vida mundana.

Continuei treinando paisagem com carvão vegetal (tenho postado aqui), mas quase nada fiz em quadrinhos.

Acredito que aos poucos a vida vai voltando ao normal. Vou poder voltar às leituras e aos projetos em quadrinhos que estavam sobrestados.

Feliz que a Café Espacial 17 foi indicada para o HQMix e ansioso para ter de volta minha rotina, igualmente exaustiva, porém, criativa.

Espero que todos estejam bem, vivos, usando máscaras e álcool em gel.

Até!

Inteligível é indicado ao Troféu HQMIX de 2019

Saiu a lista de indicados ao 31º prêmio HQMIX, e este humilde espaço dedicado à publicação das histórias em quadrinhos que escrevo e desenho foi um dos selecionados na categoria “Web Quadrinhos”.

Estar entre nomes como José Aguiar, Mário Cézar e Orlandeli, é, por si só, é um grande prêmio. Gratidão aos membros da comissão julgadora pelo voto de confiança.

Obrigado também aos meus 5 fiéis leitores pelo apoio de sempre.

Agora sobra motivação para voltar à uma nova temporada de histórias curtas. Tão logo a vida volte um pouco aos eixos, claro!