Expectativas

Aos poucos estou colocando as tiras mais antigas, de 2004 a 2007 (pretendo transportar além das tiras os posts daquela época, mantendo assim um todo continuado). E está sendo uma boa experiência rever os velhos textos que eu colocava no ar. O nível de expectativas com os quadrinhos era muito baixo. O fazer e ver no que vai dar era mais premente. E, talvez por isso, a coragem de se expor e errar era maior. Acho que é um caminho que devo voltar a experimentar, ao invés dos círculos de indecisão e de enormes projetos inacabados.

Bugs

Quase perdi o site todo. Fiz uma atualização que deu algum conflito com o wordpress. Salvei os dados, posts e imagens, mas foi-se o layout.  Por hora vai ficar tosquinho mesmo. Mas até que foi uma boa boa oportunidade para sair da zona de conforto e dar uma boa mudada em tudo.

Lento, mas limpinho

Está demorando encaixar a rotina de trabalho diário com a produção dos quadrinhos. Mas, por outro lado, as ideias estão fluindo e os projetos tomando forma. Duas histórias curtas estão sendo gestadas. Uma já tem forma a outra está se formando. Penso em produzi-las para o formato impresso. Se surgir alguma revista interessada, legal. Caso contrário, quero juntar meia dúzia para fazer uma revista para o próximo ano. Estou animado.

Fazendo do seu jeito

Não que eu tenha variado muito meu traço nos últimos 10 anos, mas acho que a frase negra de não saber bem o que fazer, de começar projetos megalomaníacos e não conseguir terminar parece que está passando. O importante nem sempre é ser virtuoso nos desenhos ou nos textos. O arroz com feijão em alguns fundamentos pode ser mais que o suficiente para você executar seus projetos (os Ramones que o diga). A técnica também vai evoluindo junto com seus feitos de forma natural. O seu jeito pode ser o melhor jeito de se fazer algo. Basta por a prova para ver se funciona. E mudar o curso se preciso.