Começando pelo final

Estou testando criar os enredos pensando primeiramente no final. O fim da história é o resultado das conquistas ou não das necessitados do protagonista. Começar a história de forma retrospectiva dá um senso de necessidades narrativas, quais cenas apresentar antes, o quê destacar, o que incluir, o quê omitir. 

Algumas vezes me deparei com esse tipo de conselho nos manuais de roteiro, mas geralmente eles não me convenciam da utilidade desse trabalho retrospectivo. No livro do Ryoki Inoue (Vencendo o desafio de escrever um romance), há uma passagem na qual o autor fala desse artifício de maneira clara e sem grandes dogmas ou mitificações. 

Próxima história em gestação

A virose passou. Aprendi com ela tanto quanto com a experiência do inktober, que foi um ótimo desbloqueio criativo.
De volta aos desenhos, comecei a elaborar uma nova história curta. Acho que vou insistir no formato pela possibilidade de tentar algo novo sempre.
Dessa vez vou postar ela aos poucos, na maneira que for fazendo. Vamos ver se funciona bem.

Inktober 31

Não é o melhor desenho que fiz para o inktober, mas é o que consegui fazer doente. Feito. Desafio cumprido. Me ausento até me recuperar, e voltaremos com a programação normal desta casa. Com algumas novidades. Até! 🙂

Inktober 30

Virose monstro tentando me impedir de completar o inktober. Vou resistir. Ainda hoje posto o último desenho.